Categorias
Ciência de Dados Segurança Pública

Pesquisador do Insight participa de evento em Brasília para discutir ações contra o crime organizado

Terça-feira, 22, tivemos uma reunião em Brasília para debater as ações contra o crime organizado coordenadas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP). Agrupando representantes de instituições como USP, UFRN, UFC, UNB, Instituto Igarapé e Instituto Sou da Paz, esse foi o terceiro encontro com o mesmo núcleo de estudiosos.

O Insight, que tem realizado estudos para a área de segurança pública junto ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), foi representado pelo pesquisador José Florêncio de Queiroz.

Categorias
Big Data Ceará Inteligência Artificial Segurança Pública

Nova Estratégia de Segurança Pública do Governo do Ceará é apresentada na Câmara dos Deputados como referência nacional

Após se destacar nacionalmente na redução dos principais indicadores criminais, especialmente nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que já alcançam uma queda por 18 meses seguidos, o estado do Ceará, representado pelo secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, apresentou o conceito da Nova Estratégia de Segurança Pública (Nesp) do Governo do Ceará, na Câmara dos Deputados, em Brasília/DF. A iniciativa foi um pedido do deputado federal de Minas Gerais, Doutor Frederico, que requereu uma audiência pública, com a presença do gestor cearense, na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, nesta quarta-feira (23).

Além de André Costa, o superintendente de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) – órgão vinculado à SSPDS – e criador da teoria de combate à mobilidade do crime, Aloísio Lira; o secretário da Administração Penitenciária (SAP) do Estado do Ceará, Mauro Albuquerque; e o coordenador do Programa de Mestrado e Doutorado da Pós-Graduação do Departamento de Computação da Universidade Federal do Ceará (UFC), professor Antônio Macedo, também expuseram as estratégias montadas pela Segurança Pública do Ceará na construção de políticas públicas na área.

“A apresentação é para podermos expor toda a estratégia e o planejamento que tem sido feito no estado do Ceará. Vale destacar o trabalho que temos feito na área de tecnologia em segurança publica. Nós vamos apresentar os resultados que essas ações vem apresentado nas reduções de CVLI e CVP. Vamos colocar a disposição da comissão de segurança pública da Câmara dos Deputados para que possamos colaborar com qualquer proposta no legislativo, mas que possamos levar essa experiência no Ceará para os estados de origem e colaborar cada vez mais com a segurança publica em todo o País, destacou André Costa, antes de falar aos deputados e convidados.

A Nesp, que foi apresentada pelos gestores cearenses, consiste na criação de um novo caminho traçado pelo Governo, que visa o combate à violência no Estado por meio da integração, coordenação e responsabilização em diferentes níveis. Além do investimento em tecnologias da informação, em sistemas e dispositivos, construídos para somarem-se ao trabalho dos homens e mulheres que atuam na segurança pública, um dos pontos dentro da nova estratégia é a valorização e motivação dos profissionais. Junto ao trabalho feito pela SSPDS, há ainda as novas medidas dentro do sistema prisional e do sistema socioeducativo do Ceará, que impactam diretamente na queda dos índices criminais. Em paralelo às ações de segurança, há ainda o entendimento que o combate à violência não se limita apenas ao trabalho das polícias. Por isso, os pilares da Nesp também se baseiam em políticas públicas de educação, redução da pobreza, de cultura, esporte e de saúde.

“A ideia hoje é comentarmos sobre as boas praticas no estado do Ceará no uso de tecnologia do Big Data e inteligência artificial na Segurança Publica. Isso foi desenvolvido em parceria com a SSPDS, por meio do secretário André e o superintendente Aloisio Lira, no sentido de desenvolvermos uma solução customizada especificamente para os problemas de segurança pública do Estado. Essa arquitetura usou código aberto (plataformas abertas) customizadas para os problemas que a Secretaria quisesse atacar. Dentro da apresentação, eu pretendo mostrar a filosofia dessa arquitetura, mostrar que a tecnologia não é o fim, mas sim, um meio. Vamos discutir um pouco a necessidade de um projeto dessa envergadura ser totalmente alinhado com essa estratégia. Para fazermos um projeto de acordo com a realidade”, evidencia o professor Antônio Macedo, que coordenou os trabalhos integrados na UFC.

Essa não foi a primeira vez que a Secretaria da Segurança do Ceará apresentou o tema em Brasília. No dia 20 de agosto deste ano, André Costa já havia palestrado sobre o tema durante o Seminário de Boas Práticas em Tecnologia da Informação Voltadas à Segurança Pública. Na ocasião, quatro sistemas desenvolvidos pela SSPDS e UFC foram entregues à Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), que repassará as tecnologias que vêm contribuindo para os bons resultados em território cearense para as outras unidades da federação.

A expansão dos projetos cearenses para os demais estados brasileiros é capitaneada pelo MJSP e coordenado nacionalmente pelo secretário André Costa; pelo superintendente de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), Aloísio Lira; pelos professores doutores do Departamento de Computação da UFC, Antônio Macedo e Paulo Rêgo.

“Hoje, nós mostramos como os crimes evoluem e como a Segurança Pública deve acompanhar essa evolução. Apresentamos como o Ceará passou a repensar de forma diferente e se organizar para dar uma resposta à criminalidade e assim traçar novas estratégias. Explicando ainda como a tecnologia ajudou durante esse processo”, revela Aloísio Lira, superintendente da Supesp.

A construção de estratégias da SSPDS

Durante as suas apresentações, os representantes cearenses falaram sobre as ferramentas e estratégias construídas sobre três pontos importantes: mobilidade, território e ciência de dados. Os parlamentares conheceram, por meio de explicações técnicas e apresentação de números, quais as ações que estão em desenvolvimento graças à parceria entre SSPDS, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC) e demais instituições de ensino superior.

Uma das ferramentas apresentadas foi o Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia), uma inteligência artificial desenvolvida pela SSPDS e PRF, que funciona em conjunto ao sistema de videomonitoramento da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da SSPDS, e suas mais de 3.300 câmeras em todo o Ceará. Atuando na identificação de carros e motocicletas roubados ou furtados, o Spia e os cercos inteligentes, realizados pela Polícia Militar, quebram um ciclo de ações criminosas que ocorreriam a bordo do veículo automotor, como a prática de novos roubos e até mesmo homicídios.

A utilização da ferramenta Spia e o aprimoramento da expertise policial impactaram na melhoria dos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP), que em setembro deste ano chegou ao 28° mês de queda. Nesse contexto, há ainda a redução de 64% nos roubos de cargas e a retração de 47% nos roubos de veículos, por exemplo.

A construção de ferramentas que ajudem na tomada de decisão também foi um tema abordado durante a audiência pública. Como exemplo, os presentes tiveram a oportunidade de entender sobre a funcionalidade do Big Data “Odin” e do seu painel analítico “Cerebum”. A ferramenta, que foi desenvolvida pela SSPDS e UFC, permite, entre outras coisas, uma análise profunda das estatísticas, sendo possível estratificar, com alta precisão, os crimes, bem como encontrar padrões que possam levar a predições.

Alimentado por mais de 100 sistemas dos órgãos de Segurança Pública do Estado e de instituições parceiras, o Odin possui mais de 90 bases de dados diferentes e é capaz de analisar milhares de tipos de dados diferentes, que ficarão à disposição dos gestores através de um painel analítico. Os sistemas foram remodelados para fornecer as informações, em tempo real, e facilitar o processo de investigação, inteligência e tomada de decisão.

Por último, os parlamentares conheceram o funcionamento do Portal do Comando Avançado (PCA), que é um aplicativo disponibilizado para os profissionais de segurança. Por meio desse mecanismo, é possível identificar possíveis suspeitos por meio do leitor biométrico conectado a um celular smartphone. O procedimento já é adotado no Ceará em situações em que o indivíduo não apresenta documento de identificação à composição. O próximo passo comentado durante a audiência pública, e que está em fase de teste, é o reconhecimento facial, feito por meio da câmera de um smartphone.

*Imagem: TV Câmara

Categorias
Ceará Segurança Pública Tecnologia

Políticas de segurança pública do Ceará será discutida nesta quarta-feira(23) em Brasília

A redução dos índices de criminalidade no Ceará virou assunto nacional.

Afinal, nos últimos anos, o Ceará sempre se destacou negativamente com números alarmantes, com Fortaleza aparecendo como uma das cidades mais violentas do mundo.

Porém, o governo cearense reagiu e, concomitantemente com a adoção de políticas sociais de prevenção, adotou inteligência e tecnologia de ponta no combate à violência, além de retomar o controle sobre o sistema penitenciário, desarticulando o comando do crime organizado.

Deu resultado e os números da criminalidade têm caído progressivamente.

E os deputados da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara Federal querem entender o que levou a essa reviravolta.

Para tanto, convidaram os responsáveis pelo programa de segurança pública cearense para um debate na Câmara Federal,

Estarão lá o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, André Costa; o secretário da Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque; o superintendente de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública, Aloísio Vieira Lira Neto; o coordenador do Programa de Mestrado e Doutorado do Departamento de Computação da Universidade Federal do Ceará, José Antônio Fernandes Macedo; e o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Adriano Marco Furtado.

A audiência será realizada nesta quarta-feira (23), às 16h30, no plenário 6 da Câmara. Clique aqui e acompanhe.

*Foto/José Leomar

Categorias
Vagas Vagas Encerradas

Vaga para o cargo de Desenvolvedor Back End Pleno

O Insight Lab está com inscrições abertas para o cargo de Desenvolvedor Back End Pleno. 

Nossa equipe conta com mais de setenta colaboradores entre pesquisadores, professores e alunos de pós-graduação e graduação. Aqui, você terá a oportunidade de ter contato com renomados cientistas nacionais e internacionais, além de participar de publicações e conferências globais.

Se você deseja se candidatar, envie seu currículo para:

jobs@insightlab.ufc.br 

Consulte mais informações sobre a vaga clicando aqui.

Categorias
Segurança

Insight participa da criação do centro de inteligência para as fronteiras brasileiras

Ontem (10/10) aconteceu o evento de criação do Fusion Center, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI). O escritório funcionará como um Centro Integrado de Operações em Fronteiras e unificará as atividades de diversas entidades de segurança pública, como Polícia Federal (PF), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Ministério da Defesa e Receita Federal, além de apoiar investigações em todo o Brasil.  

O Insight Lab integra este projeto junto ao Ministério da Justiça atuando no suporte do processamento de informações a serem gerenciadas pelo Fusion Center.

Veja imagens do evento:

Categorias
Ciência de Dados Programação

Livro para a estante de programador: Python para Análise de Dados

Escrito por Wes Mckinney, criador da biblioteca pandas, este livro é um guia para quem está no início da formação como programador. Ele ajuda a entender o funcionamento e a combinação de ferramentas para o tratamento dos dados dentro do ambiente Python. O processo de dedução será possível porque o autor apresenta a lógica que estrutura as ferramentas, e mesmo diante do avanço e modernização desses recursos, os princípios permanecem.

 O uso de exemplos é fundamental na explicação de um assunto, e este livro traz diversas aplicações. E através das aplicações conheceremos as ferramentas que compõem o ambiente, como é o caso das bibliotecas.

O volume é desenvolvido em seções curtas, isso torna a informação mais focada, o que ajudará o programador iniciante a identificar claramente os pontos centrais sem entrar em expansões ainda difíceis de entender. Já no início da obra encontramos uma revisão sobre algumas das principais bibliotecas ligadas ao Python, como NumPy, pandas, Matplotlib e Jupyter. É uma apresentação sucinta, mas as ferramentas são melhor delineadas ao longo do texto, com suas características sendo apresentadas dentro da conjuntura de uso. 

Por isso recomendamos, porque mostra de maneira clara, contextualizada e bem direcionada os  procedimentos que precisam ser conhecidos logo no início da carreira de programador.

Categorias
Ceará

Insight Lab colabora com a realização de cursos do Pirambu Digital

O Pirambu Digital promoverá o curso de introdução à robótica para alunos de escolas públicas. O Insight Lab contribuiu para essa iniciativa com a doação, ao Pirambu Digital, do valor das inscrições dos nossos cursos de  “Imersão em Data Science” e “Introdução ao Docker”.

 A nossa felicidade é imensa por participar do movimento de democratização do conhecimento de qualidade para o desenvolvimento social. Projetos como esse possibilitam que as ferramentas cheguem às mãos dos nossos futuros cientistas. Talvez, a partir desse curso surjam alguns dos próximos membros do nosso Insight Lab.

 

Categorias
Inteligência Artificial

Como a Inteligência Artificial pode tornar o trânsito mais seguro?

De carros autônomos a softwares inteligentes, que fazem atendimento e simulações similares à inteligência humana. Entre tantos avanços tecnológicos, a Inteligência Artificial (IA) vem revolucionando a tomada de decisões de pessoas, empresas e organizações dos mais variados segmentos. O trânsito é um deles e, graças a essa tecnologia, os órgãos públicos conseguem atuar de forma inteligente, trazendo soluções em tempo real.

Mas, afinal, como a Inteligência Artificial pode auxiliar o trabalho dos órgãos que atuam no monitoramento de estradas, rodovias e do trânsito como um todo, oferecendo informações e imagens precisas?

Ao falar em tecnologia para esse segmento, sempre é preciso ter em mente que as soluções detectam, registram e analisam os dados dos veículos. Hoje, muitas dessas funções podem ser feitas com o uso da Inteligência Artificial e Machine Learning.

Utilizando a IA, por meio da captura de imagens, algumas soluções conseguem extrair com eficiência e precisão informações sobre os veículos. Essas informações de qualidade são então fornecidas para os sistemas que fazem o controle e monitoramento das vias públicas, e é possível melhorar a operação e gestão do trânsito, com o objetivo de garantir que as estradas fiquem cada vez mais seguras e eficientes.

Por meio de algoritmos de Inteligência Artificial, softwares capturam de maneira automática a informação da categoria do veículo por imagem, sem a necessidade de que uma intervenção seja feita nas vias. Com apenas uma câmera, por exemplo, é possível monitorar e classificar os veículos de várias faixas ao mesmo tempo.

Há outros exemplos de fora do Brasil, como os sistemas de câmeras e IA que flagram motoristas que usam celular enquanto dirigem. O governo australiano pretende usar essa tecnologia com o intuito de flagrar as infrações e conter o número de acidentes. Até o fim do ano, 45 sistemas para detectar celulares serão instalados no estado de New South Wales, o mais populoso da Austrália.

Esse sistema, que será instalado nas laterais das estradas e será controlado por autoridades rodoviárias australianas, é composto por duas câmeras: uma, capaz de fotografar a placa de matrícula do veículo; outra, responsável por monitorar os movimentos do motorista por meio do para-brisa. Neste caso, a IA é utilizada para excluir motoristas que não estão usando o celular ao volante. Já as fotos que mostram motoristas suspeitos de cometerem a infração são encaminhadas para a análise das equipes.

O fato é que, na era da inteligência e da informatização, a geração de dados é constante e em tempo real. Esses dados são tratados e transformados em informações úteis para todos, dos motoristas aos profissionais técnicos e órgãos de trânsito. Isso contribuirá com a redução de acidentes e, consequentemente, aumentará a segurança, além de tornar as rodovias e vias urbanas mais agradáveis de serem utilizadas.

*Ian Robinson é engenheiro eletricista e gerente de marketing na Pumatronix

Categorias
Vagas Vagas Encerradas

Vaga para o cargo de Desenvolvedor Front End Júnior

Estão abertas as inscrições para o cargo de Desenvolvedor Front End Jr., aqui no Insight Lab. 

 Atribuições do cargo:

– Atuar como Desenvolvedor Front End, atendendo à demandas de front 

– Desenvolver soluções de projetos internos / externos do Insight Lab;

Habilidades buscadas no candidato:

– Javascript (ES5, ES6), HTML5 e CSS3

– ReactJS – Controle de versão (Git) 

– Noções de UX e UI

– Conhecimento em design mobile, assim como design responsivo 

– Vivência com desenvolvimento em ambientes e times ágeis. 

– Inglês intermediário

Se deseja participar, envie seu currículo para:

jobs@insightlab.ufc.br 

Para mais informações, clique aqui.

 

Categorias
Big Data Ciência de Dados

Evento realizado: Palestra de “Introdução à Ciência de Dados e Big Data”

A III Semana da Atuária aconteceu nos dias 18 a 20 de setembro (2019) na Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade (FEAAC). O evento acolheu professores, estudantes e profissionais da área.

Na ocasião, o Insight Lab foi representado pelo professor Régis Pires Magalhães, que ministrou a palestra “Ciência de Dados e Big Data”. A apresentação aconteceu no dia 18 de setembro, de 18 às 20h, e abrangeu o cenário destas ciências, além de mostrar aspectos do funcionamento do Insight Lab. 

Confira as imagens: